Google+ Followers

sábado, 28 de maio de 2011

Ócio criativo!



No mundo capital

O desemprego

Tira a metade

Da dignidade

Mas traz a liberdade

Para dormir tarde

E prestar atenção

Na letra daquela música

Que para mim

Não fazia mais sentido.


(Karla Ramalho)

Leminski em mim...


No meu quarto eu fujo do mundo

Dentro do meu próprio mundo...


No fim da linha

Nada tinha

Descosturei o caminho de volta...




Ultimamente

Estou muito Leminski

Direta e profunda...


Karla Ramalho

domingo, 22 de maio de 2011

Voltando ao erro!

Considero-me uma mulher equilibrada, sem muito apego para evitar sofrimentos, mas de vez em quando cometo uns erros só para satisfazer o meu ego, erro do tipo, ficar com o cara errado, aquele cara que você tem plena consciência que é o cara errado, mas que é irresistível.
Por que os caras irresistíveis são os mais errados?E sem querer vou entrando nessa, não de olhos fechados, mas de olhos abertos, muito abertos.
Tenho que admitir que estou sentindo falta de alguém, mesmo que essa pessoa seja a errada,mesmo que venha a pessoa errada, quero um descanso para a minha loucura, mesmo sendo um descanso meio louco,pois tudo na minha vida é meio contraditório, meio bagunçado, inclusive esse meu coração meio leviano.Mas todas essas coisas que parecem tão simples, relacionamentos, companheirismo, história, é tão difícil para mim, na verdade o que eu tenho é medo, medo de sofrer, medo dessa dependência sentimental que as pessoas sentem e que eu, simplesmente tenho medo, pode ser até medo da felicidade.
O meu erro, que insisto tanto é o único alguém que faz meu coração bater mais forte, é o único que permeia meus pensamentos e também é o único que tem tudo para dar errado.
Ainda bem que existe o Paulinho da Viola e suas letras perfeitas para embalar minha noite, bem acompanhada de um bom vinho, é claro.



Ah, coração leviano
Não sabe o que fez do meu... (Paulinho da Viola)



Karla Ramalho