Google+ Followers

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Não tire o chapéu!


Ele vem com aquele charme de cowboy do asfalto, uma botina, uma calça apertada e um chapéu...
Tudo começou quando parei em um barzinho só pra tomar uma cerveja e nesse bar tava tocando uma dupla de sertanejo raiz. Já percebi logo o olhar do violeiro, olhando por debaixo da aba do chapéu. Fiquei ali, entre um olhar e um charme, ao som de  uma toada caipira. Depois de tocar, outros violeiros continuaram e eis que ele me pediu  uma dança. Dalí em diante,  fui laçada por um cowboy, ou melhor, um caipira. O caipira mais descolado que já conheci.
Deixou seu cheiro impregnado em mim. Dormi com seu cheiro e ao som de sua toada nos pensamentos. Depois de alguns contatos, ele veio atrás, não veio a galope, mas veio de chapéu. E eu, me entreguei ao som de um modão  apaixonado . Só fiz um pedido antes de me entregar : “Não tire o chapéu”. Fui atendida!
“Nesses versos tão singelos, minha bela, meu amor...”

(Karlinha Ramalho)

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Para o meu aniversário...

 
Vejo o Centauro
Atravessar meu céu
Com sua flecha certeira...

Que me diz onde ir.
 
E eu que temia
Chegar até aqui
Hoje, me sinto preparada
Para subir mais um degrau
Dessa longa escada.
 
Pois o melhor presente
Que a vida trouxe
Para essa idade
Foi a maturidade.
 
(Karlinha Ramalho)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Louca de versos!


Louca de versos
Para os corações desiludidos
Louca de versos...

Fazendo da poesia meu abrigo
 
Louca de versos
Para minha caminhada
Louca de versos
Para uma vida menos pesada
 
Faço rimas
De amor e dor
Misturando fracasso
Desejo e cor
 
Louca de versos
Pois pratico eternidades
Saiu da cabeça da poeta
Não é mais sua propriedade
 
Vou caminhando por aí
Tentando achar poesia
Pode está na brisa leve
Ou no sol que ilumina o dia
 
E a poeta tem a loucura
Como sua maior qualidade
Chora, bebe, ri
Faz rima com sua saudade
 
Deixe-me conviver com meus poemas
Antes de jogá-los no mundo
E que se apropriem deles
Os loucos, solitários, vagabundos.
 
Sou a loucura dos meus versos
Pois essa é minha verdade
Transformando sentimentos em palavras
Sou poesia de fim de tarde
 
(Karlinha Ramalho)

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Um Caipira

 
"Não vem a galope
Mas vem com um chapéu
Uma viola, uma toada caipira
E um jeito de olhar por debaixo da aba.
Me laçou em seus braços...

Virei musa de um modão apaixonado..."
 
(Karlinha Ramalho)

sábado, 7 de novembro de 2015

Aquela agenda...


Estranho como tais objetos ganham certos valores sentimentais que nem consigo explicar. Ganham no sentido de se tornarem importantes ou trazerem certas lembranças. Esses dias encontrei um que me trouxe algumas lembranças...

Depois da pintura da minha casa, sobrou eu, arrumando tudo sozinha, limpando a poeira dos móveis que ficaram brancos depois dos pintores terem lixado as paredes. Foi trabalhoso arrastar os móveis. Nessas horas que sinto falta de um companheiro...rs!

Voltando ao assunto...

Comecei a arrumar meu guarda roupa, colocar algumas roupas pra lavar e eis que encontro uma agenda que um ex namorado me deu(Manu). Uma agenda grossa, boa, onde anotei tanta coisa, me foi tão útil. Lembro até porque ele me deu...Sempre reclamava que eu esquecia de tudo, me perdia nas minhas obrigações. Me deu aquela agenda para que eu organizasse meus horários. Fiz isso, mas também escrevi tanta coisa nela...Desabafos e poemas! Sentei  na cama, folheei as páginas, relembrei meus velhos compromissos de militante do movimento estudantil, tudo anotado ali naquela agenda que ele havia me dado  de presente.

Me bateu uma saudade dele. Uma saudade boa, sabe...Lembrei do dia que nos conhecemos, da nossa primeira noite(em um hotel em Brasília, nós dois sendo delegados de uma Conferencia de Educação). Das viagens que fazia  até Goiânia para encontrá-lo, das noites e papos divertidíssimos que tínhamos. Ele sempre fã de U2 e de política e  eu,  uma militante que na maioria das vezes, discordava dele.

Ai, ai...Nunca joguei fora aquela agenda, na verdade, não costumo jogar fora minhas agendas, mesmo elas não tendo mais páginas para escrever. Algumas eu até jogo...Assumo! Mas aquela agenda... Guardei e acho que vou guardar por um bom tempo. A partir dela, comecei a organizar meus horários. Já anoto passo a passo do que vou fazer durante a semana. Algo bom ele me trouxe, aliás, muitas coisas boas ele  me trouxe. Uma relação construtiva foi a nossa!

Guardei de novo a agenda no guarda roupa, como se guarda alguma lembrança em um baú de memória. Resolvi espiar sua vida nas redes sociais, pelas minhas contas, têm uns três anos que não falo com ele. Logo de cara, uma foto de alianças, fui olhando mais fotos e vi fotos do seu casamento. Casamento com uma mulher muito bonita (modéstia a parte, ele sempre teve bom gosto...rs). Não me aprofundei muito, porque veio uma sensação de que as pessoas só encontram a felicidade longe de mim, ou sei lá...Não que eu ache que casamento seja sinônimo de felicidade...Maaas, enfim, me perdi na história...rs!

Guardei a agenda e terminei de arrumar meu guarda roupa e o resto da casa. Quem sabe um dia, eu ache aquela agenda velha de novo, e não a jogue fora, pois não gosto de jogar fora, objetos que veem carregados de lembranças.

E sobre o casamento: Eu desejo a ele muitas felicidades. De verdade!

 

 
Obrigada pela agenda e por ter passado na minha vida...

Karlinha Ramalho

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

E agora?

Ainda não te esqueci. Você ainda está bem vivo nos meus pensamentos. Mas confesso que não tenho mais vontade de ficar com você. E nem tenho mais vontade de te esganar! Não tenho esperanças que você mude. Não te acho mais um cara super maneiro, mas volta e meia, ainda surge lembrança de algum momento nosso. É porque esse seu jeito todo menino, não tem jeito, custo a esquecer. O jeito que colocava as mãos por dentro do meu cabelo, quando  nos abraçávamos deitados na cama, depois daquele "sexo dos deuses".  Você agora é apenas uma lembrança. Fiz um bem a você, não lembrando  do seu pior, pois essas lembranças fazem muito mal pra mim. Mas espero sinceramente que você melhore daqui pra frente. Eu te perdôo! Mesmo não dizendo isso cara a cara pra você, eu te perdôo. Eu espero que você se perdoe, também.

Viva sua felicidade de "macho alfa" e sua adolescência aos 30. Viva e se embriague! Seja hedonista, não se apegue a detalhes. Se preencha e transborde de vazios espontâneos. Você não é uma pessoa ruim. Porque já olhei dentro dos seus olhos e percebi.
Parto pra outra! Tenho a mania de não saber  esperar algo novo aparecer e me deprimo. Esqueço que “para amar, basta estar distraído”. E conto as horas para encontrar alguém. Todo mundo que me olha de maneira diferente, que me adiciona no facebook, que esbarro na rua, pode ser um possível candidato a ser meu grande amor. Meu coração supera rápido, mas ele tem sede de paixão, ou amor, ou sexo, ou qualquer coisa que me preencha. O lance é que eu não sei viver nada disso, eu estrago todas minhas relações, jogo fora toda a possibilidade de ter uma relação bem sucedida. Tô nem aí! Eu quero que venha logo, no percurso eu tento me consertar, ou termine de uma maneira desastrosa. Não quero pensar nisso. Vou viver o agora. E agora?
 
Karlinha Ramalho
 
 

No claro

 
"Não precisa apagar a luz
Já não escondo os "defeitos"
Convivo bem com minhas celulites e estrias...

Minha barriga feliz das coisas que comi
Façamos amor no claro
Me despi dos padrões
Assumo meu corpo, meu gozo
Sou só tesão neste corpo maravilhoso"
 
( Karlinha Ramalho )

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Olhar...

 
"Não precisa me impressionar
Com palavras bonitas
Porque seu olhar já é poesia
Profundidades e sentimentos
Também são feitos...

De olhares e silêncios..."
 
(Karlinha Ramalho )

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

A loka!

 
"Sua louca!
É isso que você diz
E eu respondo: Sou louca, mesmo!
Por isso não me sacaneie
Ou será eternizado
Da pior maneira
Nos meus melhores poemas"
 
(Karlinha Ramalho)