Google+ Followers

sábado, 9 de janeiro de 2016

Quem nunca?


Vai arriscar?


"Você saiu do meu coração e eu não quis deixar a porta dele aberta. 
Tranquei e perdi a chave. E agora?
Quem quiser me amar daqui pra frente, terá que pular a janela.
Já começa correndo risco. 
Vou avisando!"

(Karlinha Ramalho)

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Reflexões para 2016!

Resolvi me conter de tanta coisa. Resolvi deixar um pouco de lado as duas coisas que me fazem mal: Homem e bebida. As vezes quando ouço uma música romântica, subitamente me dá uma vontade de tomar uma cerveja e beijar na boca e continuar essa sequência transando, tendo a tal música romântica como trilha sonora. Resolvi dá um tempo, pelo simples fato de sempre escolher somente pessoas nocivas e isso é proposital, eu sei onde me meto, só queria uma explicação pra tudo isso. O por que dessas escolhas. A vida nos trata como a gente se trata! De certa forma, atraímos essas pessoas porque queremos. É hora de parar e perceber o por que disso tudo! E percebo que é hora de sair desse ciclo. Não vou atrás de homem nenhum e nem vou encher a cara, vou começar a respeitar meu corpo, porque mais do que amor eu quero paz.
Percebi que algumas coisas se tornam ruins, a partir do momento que elas viram vícios. Sexo foi um deles. Pra isso comprei um vibrador bem mais potente...rs! Eu consigo viver bem sem me submeter a certas situações. Tudo ao seu tempo. Precisando parar e pensar,  para assim tentar ser feliz de uma maneira saudável. Partiu!

Bem vindo, 2016

Karlinha Ramalho


Hoje me olhei no espelho e me achei um pouco velha. Quanto tempo perdi nessas histórias sem futuro?

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Bloqueado do meu facebook!


Reparei que as duas últimas relações que tive, relações quase amorosas e muitos sexuais, foram com pessoas que hoje estão bloqueadas do meu face. A última pessoa tem duas semanas que bloqueei, uma forma de cair fora de uma relação que não era algo bom, pela situação da pessoa e por eu ter a certeza que não tínhamos nenhum futuro juntos. É importante lembrar que há dois meses aboli o celular da minha vida, pra dar um tempo de “zap zap” e de pessoas desagradáveis que só tinha contato pelo celular. Resultado: Meu hábito de leitura aumentou, pois antes perdia muito tempo no “zap” e consegui dar aquela isolada que estava querendo, ter um tempo pra mim, sem  obrigações maiores. Meu último “lance”, nos comunicávamos somente por facebook, encontros marcados inbox. Quando ele vinha aqui em casa, marcávamos um horário, ou quando saíamos juntos, ou quando ele me pedia pra eu ir ver seu show, ele vinha na hora certa marcada inbox, pra não causar transtorno.  No “quase romance” anterior, o  bloqueei porque o cara fez mal pra minha autoestima mesmo e toda vez que via sua cara estampada na minha “linha do tempo”, eu me sentia mal. Nesse caso, eu dou graças a Deus por existir o “bloqueio”  e se o vejo na rua, eu o bloqueio do meu campo de visão, o que significa: Ficar o mais longe possível.

(Em pensar que fiz minhas melhores performances sexuais com ele...Ôooo arrependimento!)

Isso é meio assustador, quando você tem duas pessoas que transaram com você, teve um   certo nível de intimidade e que você elimina assim: Com um bloqueio. Diante disso, percebo como as minhas relações têm sido superficiais, relações que por um instante pensei que fossem intensas, mas que terminam com um bloqueio...Realmente não eram intensas, eram aventuras mesmo e eu com minhas pequenas ilusões. Como dizia Cazuza: “O teu amor é uma mentira que a minha vaidade quer.”
Sinto-me meio culpada por tudo isso, sei exatamente o tipo de pessoa com quem estou me envolvendo e não sou tão inocente para acreditar em tudo. A questão é que tenho a mania de transformar pequenos e bons momentos em grandes coisas e esqueço que depois desses momentos há uma vida a ser vivida e que pode ser compartilhada, contanto que seja com uma pessoa compatível. E no primeiro sinal de complicação que é inevitável com essas pessoas complicadas que me relaciono, eu pulo fora, ou melhor bloqueio do facebook. Isso é muito deprimente! Sinto-me superficial, fraca! E se a pessoa vier na minha casa, eu tenho coragem de transar com ela de novo e dizer pra ela nunca mais aparecer na minha vida. Não vai aparecer mesmo, nem aqui em casa, nem na minha “linha do tempo”. Enfim...Triste, amores líquidos...Logo eu que me acho intensa...Tudo balela dessa modernidade! Tenho que começar a abrir meus olhos para relações reais e saudáveis...Meio cansada, saca?

Acho que no fim das contas eu estou precisando me amar mais. Tenho que me amar, pra depois ser amada, sem amor próprio acabamos nos acostumando com migalhas e eu tenho muita fome!


Karlinha Ramalho

"O que a linha do tempo não mostra, o coração não sente..." 


Ah! Isso vale também para as amizades, se você bloquear alguém e perceber que dessa forma nunca mais vai ver a pessoa é porque você não tinha relação nenhuma com essa pessoa, porque nesse mundo virtual é tudo meio mentira. Voltemos as relações de contato, corpo a corpo, abraços, beijos e brindes...Fica a dica!
E outra coisa: Se quiser se isolar do mundo, não precisa ir para uma ilha deserta, apenas exclua o "zap zap" e o facebook...Triste mundo moderno!

sábado, 2 de janeiro de 2016

O que te importa?

Não vou ficar mais tentando provar nada pra ninguém. Tentando agradar, já tentei pedi perdão pelos meus erros  que são muitos. Errei e sei disso, tenho consciência dos meus erros sei dos meus fracassos, mas a pessoa em questão também é do tipo que não realça nada bom que tenho e nem lembro qual foi a última vez que demonstrou um gesto de carinho, que parou pra ouvir minhas angústias, pra me elogiar, pra me entender. Sempre dona da razão, não deixa nem eu entrar na sua casa. Enquanto outro próximo até roubar suas coisas, rouba e tem até direito a  um abraço. 
Vivi tantas inquietudes e toda vez que comentava  com essa pessoa, nunca soube me aconselhar, somente me diminuir, nunca parou pra ouvir.Ela nem sequer sabe que entro em paixões destruitivas o tempo todo, paixões que nos fim das contas destrói um pedacinho de mim. Nunca  falei isso a ela, porque nunca esteve pronta pra me ouvir. Sou um ser humano podre. Mas nunca roubei nada de ninguém, nunca fingi pra ninguém. Assim como isso nunca fez diferença pra ela. Para o mau caráter íntimo há a desculpa de doença e um prato de comida prontinha. Para mim, apenas defeitos realçados. Tenho praticado intensidade destruitivas,bebendo além da conta, fazendo sexo além da conta, gastado além da conta, mas pra você pouco importa, nunca soube nada do meu mundo.Somos estranhas do mesmo sangue. A pior coisa da vida é descontar a tristeza no álcool.