Google+ Followers

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Obrigada 2015!

Fim do ano chegando e sempre bate aquela nostalgia de tudo, lembranças, arrependimentos, alívios...Enfim! No meu caso, bateu uma tristezinha de leve, pois é, sou assim mesmo. É bem verdade que fim do ano eu fico bem mais intensa em tudo, tanto na bebida, no sexo, nas amizades e no amor. E como é de costume, sempre termino o ano com uma paixão frustrada e passo as férias na fossa. Só que este ano, tive um envolvimento aí, que era certeza de furada, por isso, pra não seguir essa minha regra chata de fim de ano, tratei logo de pular fora e  minhas férias será mais feliz e liberta possível. Chega disso na minha vida!
2015 foi um ano complicado, mas muito libertador também em vários aspectos. Desfiz amizades  muito fortes, percebi realmente quem são aquelas pessoas que posso confiar. Deixei a minha antiga turma, por perceber que vivia em meio a pessoas artificiais , que tentam se auto afirmar de alguma forma, enfim, não me sentia bem e nem feliz. Libertei-me, por não me senti mais parte. Sofri, mas foi rápido demais. Porque descobri que tudo veio no tempo certo e eu mais ganhei do que perdi. Libertei-me e ganhei novas pessoas maravilhosas, pessoas que me trouxeram horizontes e que me fazem crescer. Sou grata!
Sobre as relações amorosas, foram todas um desastre, mas foi menos pior do que o outro ano,porque agora eu sei exatamente o que fazer. Não irei me permitir a coisas que me coloquem pra baixo e a homens egoístas e imaturos. Terminei sabendo controlar minha carência e deixar firme minha auto estima. Finzinho do ano, quase caio em uma furada, mas lembrei de todas essas lições que aprendi em 2015 e segui. Agora estou sozinha,mas muito bem e feliz demais.
Passei mais tempo em casa, em companhia dos meus livros, meus filmes, minhas manias...Soletude!  
.Escrevendo mais do que nunca, cheia de planos e esperança. Termino este ano como uma pessoa melhor. E estou até pensando em passar a virada em casa, deitada, de perna pra cima, tomando uma cerveja, fumando um back e assistindo uma série. Ficarei feliz assim! Que venha 2016, continuando esse meu Retorno de Saturno!


Agradecimento aquelas pessoas que fizeram meu 2015 melhor: Lídia Dállet, Julyana Duarte, Daniela Vieira, Cris de Souza,Liv de Lara,  Silvia Fernandes, Júlia Nara, Daniel Garcia, Anne Baylor...Eu amo vcs!   <3

domingo, 27 de dezembro de 2015

Disk Sexo

Gosto dessas paradas de sexo em domicílio, do tipo: Você liga para a pessoa e ela vem. Só faço isso com quem tenho um certo apreço e uma intimidade bem permitida. Confesso que rola um pouco de apego, quando ele vem e parecemos o casal mais apaixonado do mundo, cheios de trocas de carinhos e juras de amor. Ele cheio das histórias mal resolvidas, que eu não quero saber, às vezes tenta me fazer ciúmes contando algumas, mas eu acho graça de tudo  ou então o repreendo. Até me divirto com todas essas suas aventuras de um cara egoísta, mas logo em seguida, me sinto hipócrita de ouvir tudo isso, meio sem dar uma lição de moral( e o feminismo?). E até dou, o chamo de egoísta, falo que ele vai se fuder logo, logo e que eu vou achar bem feito. Ele fica com raiva, mas depois passa.
Logo em seguida já estamos nos amassos e naquele sexo que nos faz suar, onde terminamos encharcados um do outro.
Ao terminar, põe minha cabeça no seu peito  e  diz:  
- Amo ficar olhando para os seus seios enquanto cavalga em mim. É  a cena mais linda do mundo. Quero morrer lembrando  disso.Eu fico hipnotizado. Fico com essa cena na minha cabeça a semana toda. Quer namorar comigo? Vamos morar juntos? Vamos ter um filho?
 E eu respondo: - Melhor, não!
Ele responde: - Tudo bem ,então. Melhor não!

Despede -se, chama uma moto e vai embora.  E depois de algumas semanas, me bate aquela carência. O chamo, mando uma mensagem, pedindo uma amorzinho e um dengo e ele vem. E assim segue nossa história de amor de algumas horas em cima da minha cama e debaixo do meu edredon. Sou assim, cheia das relações estéreis, sem muitos prolongamentos. Às vezes tenho vontade de ser amada pra uma vida inteira, mas nunca dou sorte nas escolhas. Pelo menos tenho esse “disk sexo do amor”. Tá bom, assim! (eu acho)

Karlinha Ramalho


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

de ontem...


"Meu quarto ainda está com áurea de ontem
Cigarro apagado no cinzeiro
Camisinhas no chão
Vinho pela metade
Só que no seu lugar

Ficou a saudade..."

(Karlinha Ramalho)

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Culpados!


Sei de todos os teus crimes e te repudio. Mas como pode ser todo encantador na hora que toca a viola? Eu me condeno por esquecer todos os seus erros e me entregar, logo depois, prometo nunca mais te ver. Mas aí quando aparece na minha janela tocando aquela canção eu entendo porque todo bandido tem o charme como sua principal "arma".É o lado bom de ser vilão. Somos culpados!

Karlinha Ramalho

domingo, 13 de dezembro de 2015

Pra voar alto é preciso soltar as angústias


 
Hoje me bateu uma leve angústia, não sei explicar o porquê. Mas me bateu uma angústia...
Passou rápido, porque fiz uma autocrítica.
 Foi só uma angústia das coisas mal vividas, das histórias mal resolvidas, de tudo que deixei pelo caminho. Foi uma angústia passageira, pois refleti que se estou forte até aqui é porque nada daquilo  era pra ficar aqui. Tudo tem seu tempo e eu sigo.
Eu que ando amando a solidão. Solidão dos meus pensamentos e inspirações das minhas embriaguez e viagens, entre uma cannabis e outra. Eu que estou até  lendo a Bíblia e encontrando preciosidades e confortos. Eu que tenho preferido deitar na rede e conversar, do que transar. Eu que tenho dormido nas noites de sábado, dançado nos domingos. Eu que tenho amado cada dia mais meus alunos,  tenho gastado meu dinheiro mais com vinho do que com remédio.
Eu que continuo tendo paixões erradas, mas não estou insistindo. Eu que agora, sou uma pessoa de poucos amigos, pois quero comigo os mais verdadeiros, quero todos aqueles que me completam. Eu que ultimamente tenho lido um livro atrás do outro. Tenho até feito orações. Tenho admirado Jesus Cristo. Tenho me masturbado no chuveiro. Tenho começado uma dieta, mas não consigo tirar a cerveja. Além de não ter coragem de ir à academia.
  a angústia não sei explicar porquê. Deve ser esses momentos que lembramos   do passado.Lugar onde ele deve ficar. Já me perdoei e perdoo todos  àqueles que passaram por mim e me magoaram de alguma forma. Estão todos perdoados. Eu estou perdoada!
Venho fazendo revoluções internas. E percebendo que passei um bom tempo presa. Pois a liberdade é muito mais interna do que externa.  A liberdade chega, mas também temos que aceitá-la. Não adianta  ter liberdade com peso nas costas, pois o peso  nos impede de voar.
Agora eu posso voar. Mesmo ainda sobrando algumas angústias. Mas vou tentar jogá-las pelo caminho. Por causa delas, ainda voo baixo. Mas logo, logo, quando consegui soltar todas elas lá de cima, eu voarei  até o infinito.

(Karlinha Ramalho)
 
Para tudo há uma ocasião certa;
há um tempo certo para cada propósito
debaixo do céu:
Eclesiastes 3:1

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Não tire o chapéu!


Ele vem com aquele charme de cowboy do asfalto, uma botina, uma calça apertada e um chapéu...
Tudo começou quando parei em um barzinho só pra tomar uma cerveja e nesse bar tava tocando uma dupla de sertanejo raiz. Já percebi logo o olhar do violeiro, olhando por debaixo da aba do chapéu. Fiquei ali, entre um olhar e um charme, ao som de  uma toada caipira. Depois de tocar, outros violeiros continuaram e eis que ele me pediu  uma dança. Dalí em diante,  fui laçada por um cowboy, ou melhor, um caipira. O caipira mais descolado que já conheci.
Deixou seu cheiro impregnado em mim. Dormi com seu cheiro e ao som de sua toada nos pensamentos. Depois de alguns contatos, ele veio atrás, não veio a galope, mas veio de chapéu. E eu, me entreguei ao som de um modão  apaixonado . Só fiz um pedido antes de me entregar : “Não tire o chapéu”. Fui atendida!
“Nesses versos tão singelos, minha bela, meu amor...”

(Karlinha Ramalho)

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Para o meu aniversário...

 
Vejo o Centauro
Atravessar meu céu
Com sua flecha certeira...

Que me diz onde ir.
 
E eu que temia
Chegar até aqui
Hoje, me sinto preparada
Para subir mais um degrau
Dessa longa escada.
 
Pois o melhor presente
Que a vida trouxe
Para essa idade
Foi a maturidade.
 
(Karlinha Ramalho)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Louca de versos!


Louca de versos
Para os corações desiludidos
Louca de versos...

Fazendo da poesia meu abrigo
 
Louca de versos
Para minha caminhada
Louca de versos
Para uma vida menos pesada
 
Faço rimas
De amor e dor
Misturando fracasso
Desejo e cor
 
Louca de versos
Pois pratico eternidades
Saiu da cabeça da poeta
Não é mais sua propriedade
 
Vou caminhando por aí
Tentando achar poesia
Pode está na brisa leve
Ou no sol que ilumina o dia
 
E a poeta tem a loucura
Como sua maior qualidade
Chora, bebe, ri
Faz rima com sua saudade
 
Deixe-me conviver com meus poemas
Antes de jogá-los no mundo
E que se apropriem deles
Os loucos, solitários, vagabundos.
 
Sou a loucura dos meus versos
Pois essa é minha verdade
Transformando sentimentos em palavras
Sou poesia de fim de tarde
 
(Karlinha Ramalho)

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Um Caipira

 
"Não vem a galope
Mas vem com um chapéu
Uma viola, uma toada caipira
E um jeito de olhar por debaixo da aba.
Me laçou em seus braços...

Virei musa de um modão apaixonado..."
 
(Karlinha Ramalho)

sábado, 7 de novembro de 2015

Aquela agenda...


Estranho como tais objetos ganham certos valores sentimentais que nem consigo explicar. Ganham no sentido de se tornarem importantes ou trazerem certas lembranças. Esses dias encontrei um que me trouxe algumas lembranças...

Depois da pintura da minha casa, sobrou eu, arrumando tudo sozinha, limpando a poeira dos móveis que ficaram brancos depois dos pintores terem lixado as paredes. Foi trabalhoso arrastar os móveis. Nessas horas que sinto falta de um companheiro...rs!

Voltando ao assunto...

Comecei a arrumar meu guarda roupa, colocar algumas roupas pra lavar e eis que encontro uma agenda que um ex namorado me deu(Manu). Uma agenda grossa, boa, onde anotei tanta coisa, me foi tão útil. Lembro até porque ele me deu...Sempre reclamava que eu esquecia de tudo, me perdia nas minhas obrigações. Me deu aquela agenda para que eu organizasse meus horários. Fiz isso, mas também escrevi tanta coisa nela...Desabafos e poemas! Sentei  na cama, folheei as páginas, relembrei meus velhos compromissos de militante do movimento estudantil, tudo anotado ali naquela agenda que ele havia me dado  de presente.

Me bateu uma saudade dele. Uma saudade boa, sabe...Lembrei do dia que nos conhecemos, da nossa primeira noite(em um hotel em Brasília, nós dois sendo delegados de uma Conferencia de Educação). Das viagens que fazia  até Goiânia para encontrá-lo, das noites e papos divertidíssimos que tínhamos. Ele sempre fã de U2 e de política e  eu,  uma militante que na maioria das vezes, discordava dele.

Ai, ai...Nunca joguei fora aquela agenda, na verdade, não costumo jogar fora minhas agendas, mesmo elas não tendo mais páginas para escrever. Algumas eu até jogo...Assumo! Mas aquela agenda... Guardei e acho que vou guardar por um bom tempo. A partir dela, comecei a organizar meus horários. Já anoto passo a passo do que vou fazer durante a semana. Algo bom ele me trouxe, aliás, muitas coisas boas ele  me trouxe. Uma relação construtiva foi a nossa!

Guardei de novo a agenda no guarda roupa, como se guarda alguma lembrança em um baú de memória. Resolvi espiar sua vida nas redes sociais, pelas minhas contas, têm uns três anos que não falo com ele. Logo de cara, uma foto de alianças, fui olhando mais fotos e vi fotos do seu casamento. Casamento com uma mulher muito bonita (modéstia a parte, ele sempre teve bom gosto...rs). Não me aprofundei muito, porque veio uma sensação de que as pessoas só encontram a felicidade longe de mim, ou sei lá...Não que eu ache que casamento seja sinônimo de felicidade...Maaas, enfim, me perdi na história...rs!

Guardei a agenda e terminei de arrumar meu guarda roupa e o resto da casa. Quem sabe um dia, eu ache aquela agenda velha de novo, e não a jogue fora, pois não gosto de jogar fora, objetos que veem carregados de lembranças.

E sobre o casamento: Eu desejo a ele muitas felicidades. De verdade!

 

 
Obrigada pela agenda e por ter passado na minha vida...

Karlinha Ramalho

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

E agora?

Ainda não te esqueci. Você ainda está bem vivo nos meus pensamentos. Mas confesso que não tenho mais vontade de ficar com você. E nem tenho mais vontade de te esganar! Não tenho esperanças que você mude. Não te acho mais um cara super maneiro, mas volta e meia, ainda surge lembrança de algum momento nosso. É porque esse seu jeito todo menino, não tem jeito, custo a esquecer. O jeito que colocava as mãos por dentro do meu cabelo, quando  nos abraçávamos deitados na cama, depois daquele "sexo dos deuses".  Você agora é apenas uma lembrança. Fiz um bem a você, não lembrando  do seu pior, pois essas lembranças fazem muito mal pra mim. Mas espero sinceramente que você melhore daqui pra frente. Eu te perdôo! Mesmo não dizendo isso cara a cara pra você, eu te perdôo. Eu espero que você se perdoe, também.

Viva sua felicidade de "macho alfa" e sua adolescência aos 30. Viva e se embriague! Seja hedonista, não se apegue a detalhes. Se preencha e transborde de vazios espontâneos. Você não é uma pessoa ruim. Porque já olhei dentro dos seus olhos e percebi.
Parto pra outra! Tenho a mania de não saber  esperar algo novo aparecer e me deprimo. Esqueço que “para amar, basta estar distraído”. E conto as horas para encontrar alguém. Todo mundo que me olha de maneira diferente, que me adiciona no facebook, que esbarro na rua, pode ser um possível candidato a ser meu grande amor. Meu coração supera rápido, mas ele tem sede de paixão, ou amor, ou sexo, ou qualquer coisa que me preencha. O lance é que eu não sei viver nada disso, eu estrago todas minhas relações, jogo fora toda a possibilidade de ter uma relação bem sucedida. Tô nem aí! Eu quero que venha logo, no percurso eu tento me consertar, ou termine de uma maneira desastrosa. Não quero pensar nisso. Vou viver o agora. E agora?
 
Karlinha Ramalho
 
 

No claro

 
"Não precisa apagar a luz
Já não escondo os "defeitos"
Convivo bem com minhas celulites e estrias...

Minha barriga feliz das coisas que comi
Façamos amor no claro
Me despi dos padrões
Assumo meu corpo, meu gozo
Sou só tesão neste corpo maravilhoso"
 
( Karlinha Ramalho )

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Olhar...

 
"Não precisa me impressionar
Com palavras bonitas
Porque seu olhar já é poesia
Profundidades e sentimentos
Também são feitos...

De olhares e silêncios..."
 
(Karlinha Ramalho )

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

A loka!

 
"Sua louca!
É isso que você diz
E eu respondo: Sou louca, mesmo!
Por isso não me sacaneie
Ou será eternizado
Da pior maneira
Nos meus melhores poemas"
 
(Karlinha Ramalho)

sábado, 31 de outubro de 2015

Amor Consciente!

 
Amor cego não é o certo
Porque amor também é feito de olhares
Que completam o silêncio...

E se eternizam no afago
 
O amor cego é dependente
Prefiro o amor consciente
Pra ter certeza
Daquilo que se sente
 
O melhor amor
Começa dentro da gente
Pela gente
Tem a ver com amor próprio
Para assim ser doado ao próximo
 
Amor consciente é enxergar até no escuro
É construído na sinceridade
"É privilégio de maduros"
 
Quero sim esse amor lúcido
Construído a cada dia
Mistura de paz e alegria
Fazendo meu coração de moradia
 
(Karlinha Ramalho)
 
 
 
*Amor e seu tempo (Carlos Drummond)
 

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Tá preparado?

 
 
"Uma noite somente de sexo
Pode ser sim, uma grande história
Consideração não tem nada a ver
Com o tempo de duração
De uma relação...

É tudo uma questão de maturidade..."

 
(Karlinha Ramalho)

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Aos pouquinhos!

 
"A cada dia uma lembrança sua se vai
As boas já se foram
Por que as ruins insistem em ficar
E me atormentar?
Mágoa é algo que gruda na gente...
Leva um tempo grande pra partir
Azar o seu por ter deixado o seu pior
Poderia pelo menos
Ter deixado um saudade boa..."

(Karlinha Ramalho)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

BAGUNÇA!

 
"A bagunça do meu quarto
Corresponde exatamente
A bagunça da minha vida...

O guarda roupa cheio
De roupas amontoadas
Corresponde as mágoas
Que não ouso dobrá-las
Ficam todas alí
Cada dia piores.
Até que eu não consiga
Mais fechar a porta
E seja obrigada a organizar tudo..."
 
 

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Entre quatro paredes eu sou cachorra!


   
Sou, sou mesmo, sou boa, sou toda intensidade. Não é pra qualquer um. É pra quem sabe  e pra quem eu quero. Entre quatro paredes é pra ser selvagem. Me segura direito, porra! Faça do meu cabelo uma coleira, mesmo que no dia seguinte meu pescoço fique doendo pra caralho!! E não esquece que é dando que se recebe um oral bem feito. E não me diminua fora da cama.
     Eu não sou sua e você só está me tendo porque eu permiti. Sorte a sua por poder me dominar na cama, pois só na cama que eu deixo. Não me faça juras de amor, não me iluda, apenas faça tudo direito. Mas me respeite! Sou adulta e sexo não é piada e nem vantagem pra você se vangloriar por aí. Sexo é para nossa saúde! E se andar falando bobagens por aí, eu sou capaz de te desmenti, ou dizer que você é brocha. Aproveite!  Sou uma puta entre quatro paredes, mas não sou sua puta. Sou minha puta selvagem! Cachorra de quatro. Sou, sou, sou! De uma coisa eu posso me orgulhar: EU SOU DEMAIS!

Bem vindo!

Karlinha Ramalho

 

domingo, 25 de outubro de 2015

Você estragou minha saudade!

            


Agora eu tenho a pior imagem de você. Não sou mais encantada por você como fui no momento que te conheci. No momento que vi você me olhando. No momento do nosso beijo e da nossa primeira  transa.
 
. Nunca quis ficar comigo. Tudo bem! Um direito seu. Mas não precisava mostrar o seu pior, mostrar o tanto que você é capaz de magoar alguém.
Você estragou minha saudade. Quebrou a imagem boa que tinha de você. Mesmo você sendo só meu amigo, mesmo você só me querendo para sexos casuais. Eu gostava do seu sorriso e te via com ternura. Por que deixou quebrar isso? Será que você nunca foi aquilo? Tudo aquilo era fingimento pra poder me levar pra cama? Nem precisava fingir tanto, pois eu sou fácil demais.
Queria que você fosse pra mim como foi no começo...Era tão bom! Você tão lindo!
Custo acreditar que você seja aquilo que você mostrou pra mim naquele sábado à noite, onde você deixou de lado toda consideração e respeito que poderia ter por alguém. Eu custo a acreditar que você foi capaz de fazer aquilo. Custo a acreditar que você seja aquilo!!!!
Mesmo você não estando comigo, eu tinha boas lembranças suas. Sempre lembrava  do teu sorriso, dos seu jeito todo menino. E nossa química na cama nem se fala. Pra você eu me entregava, era sua. De uma maneira selvagem me via presa ao seu sexo e você tinha total domínio sobre mim. Metia e eu urrava, nem eu mesmo sabia que era capaz de ser tão intensa... Eu bebi seu néctar e te encharquei com o meu. Fomos um, intensamente...
E mesmo você sumindo por um tempo, tinha boas lembranças suas...Você estragou tudo!
Magoou-me ferozmente. E eu etilicamente entorpecida, também mostrei meu pior lado, minha fragilidade, cheguei à loucura, fui ao fundo do poço, me humilhei... Nunca pensei que pudesse chegar a esse ponto por alguém que não merece nem o meu néctar. Eu também mostrei o pior de mim, mas não te prejudiquei por isso. Você me feriu! Uma ferida que vai cicatrizar, mas que pode abrir a qualquer momento.
E hoje as lembranças que tenho de você são as piores. A mágoa que atrapalha meu sono. A vergonha de mim. Mas até assim, em meio as imagens ruins, eu lembro  do seu sorriso e como  você era no início de tudo. Você se estragou pra mim! Mesmo não querendo ficar comigo, você poderia ter deixado uma boa lembrança e uma saudade confortante. Você estragou minha saudade!
 Adeus!
(Karlinha Ramalho)

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Me senti suja!

        Pela primeira vez me senti suja. Eu que prego a liberdade, sei as regras do meu corpo e me entrego sem medo, pela primeira vez na minha vida, eu  me senti suja. Culpa minha! Quis pagar pra ver em algo que era certeza de decepção.
       Aquele que  sempre me tratou como um plástico.Que só pensa nas suas ebulições e ereções, atrás de uma  vulva pra enfiar seus desejos fracassados e seu gozo sem gosto. Depois, só mais uma para sua listinha de sexo e seu ego inflamado. Um brinde ao seu falo incessante e ereto que age mais que sua cabeça!!
      Fui o seu buraco, quando abri minhas pernas, deixando de lado meu orgulho, minha autoestima. Abri minhas pernas como alguém que só queria um prazer, misturado com qualquer sentimento bom e alguma consideração, nem precisava ser amor... O seu gozo no meu rosto, foi um cuspe na minha dignidade, o seu falo no céu da minha boca, foi a minha maior impotência. Poderia ter evitado, eu tinha o poder de evitar. Poderia ter recusado suas migalhas.
        Eu posso e mereço mais! Mereço ser amada e principalmente, respeitada. Mesmo que por uma noite de sexo. É possível isso...Sexo acima de tudo é troca! É libertação! Por você não tenho raiva e nem pena. Não quero nutrir sentimentos ruins. Por você, tenho misericórdia!
Tomei um banho de Arruda para espantar os males, mas você sujou a minha dignidade. Vai ser difícil limpar. Mas espero  sinceramente, que você encontre a sua paz. Mas  até agora, estou limpando esse seu gozo em meu rosto que pra mim, foi pior que um cuspe.
 
Adeus!
 
Karlinha Ramalho

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Sumiço moderno!


"Te exclui do face, sim
O que a Linha do Tempo não mostra
O coração não sente."

(Karlinha Ramalho)


*Se liga na minha super cara de arrependimento por ter feito isso. Neste exato momento, estou dando aquela risada de Bruxa...Hahahaha!

"Amigo" punk!

Foi uma pessoa que me ensinou a fazer sexo de verdade, deu atenção a uma menina meio hiponga que se vestia mal, queria ser a Janis Joplin do gueto e acabava de completar 18 anos. Isso há dez anos atrás(Vixi! Entreguei minha idade...rs).  Um punk, dreadlock, artista, professor de artes, figura carimbada em todas as paradas alternativas e legais aqui da minha cidade. Nos curtimos, conversamos muito sobre livros, música e etc...Namorou um tempinho comigo, assim que entrei na Universidade. Tinha certeza que levava chifre, mas eu dava também.(nem me importava, nem ele). Nunca teve cobranças entre nós.
Quando me mudei para outra cidade pra fazer meu curso de Pedagogia na UEG(Universidade Estadual de Goiás), ele foi uma das poucas pessoas que me visitou. Lembro uma vez que ele foi me buscar no campus que estudava. Chamou atenção da galera! Aliás, não era todo dia que um cara de 1.90, punk, olhos verdes e dreads até a cintura, aparecia por lá.Como a gente transava, viu! Eu que só havia transado com um namorado anterior e só tinha feito aquele sexo “meia boca”, quase sem orgasmo,  aprendi com ele que o sexo é um universo cheio de possibilidades. Uma das melhores lembranças que tenho dessa época, foi quando ele chegou lá em casa, dirigindo sua camionete, trazendo nela duas bicicletas pra gente dá um rolê de bike pela cidade. Andamos a cidade quase toda, paramos em um boteco e enchemos a cara. Tivemos que retornar arrastando as bicicletas por um longo caminho no percurso de volta até minha casa, pois estávamos tão bêbados e chapados que não conseguíamos pedalar.
Hoje, ele ta casado. Sei que é um casamento aberto. Nos reencontramos esses dias, voltamos  a sair pra ouvir rock n’ roll, jogar sinuca e fazer aquilo que temos super química: SEXOOOOO! Além de tudo é um cara de grandes histórias, que sempre me ensina e me dá conselhos para à vida! É o meu punk," pintudo", gostoso e tesudo e que tem feito minhas noites de quarta cada dia mais prazerosas, assim que sai da escola que dá aula no período noturno e passa  na minha casa pra me “visitar”. Entre um zap com frases safadas e uma carona que sempre me oferece até a escola que dou aula, nas segundas-feiras que almoçamos juntos, sempre rola muitas risadas.Hoje somos colegas de profissão.
 Apesar das roupas agressivas é a pessoa mais doce que já conheci nessa vida. E tem um corpo perfeito!!!! Xenteeee! Tá dando tesão agora só de lembrar... Às vezes nem acredito que estou transando com  um cara tão gostoso...kkkkk!!!Tem sempre o melhor back da cidade.
O eternizo com esse texto!

Hey ho let's GO!!!
(Direto pra minha cama, transar ao som de Ramones)

Te amo! <3



Karlinha Ramalho( não valho nada, mesmo)

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Amor é praia!



"E o meu salva-vidas
Pode ser uma paixão
Só ela pra me salvar 
Do mar da solidão.
Respiro
E ela me joga de novo no mar
Pois paixões são canoas furadas
Te salvam por um tempo
Mas depois afundam
Só o amor é praia."


(Karlinha Ramalho)

Amor demais!


"Esse meu coração indeciso e vagabundo
Que sempre transborda de amor
Querendo amar todo mundo..."

(Karlinha Ramalho)

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Amor, crises, apegos e desapegos...

  
Na sociedade da autoafirmação, dos conflitos, dos estereótipos e do preconceito, vivemos um período onde as relações estão em crise. Vou falar aqui, sobre as relações amorosas dos héteros.

Nós mulheres ainda precisamos de muita luta pra estarmos em pé de igualdade com os homens, nessa sociedade totalmente patriarcal(voltada para os interesses deles). Andamos a passos lentos para um processo de libertação, mas andamos...

Quero fazer uma análise das relações de hoje, inspirada nas minhas experiências e de algumas amigas próximas.

Vou começar falando sobre a paquera:

Ai como eu adoro paquerar!!! Não sou adepta desse tal de “tinder”, não troco uma paquera em uma balada ou em qualquer outro lugar, por um encontro marcado virtualmente.

Olhares... Adoro olhares! Já fico a fim do cara, só pelo jeito dele olhar. Nada melhor do que aquele momento quando na balada os olhares se cruzam, preparando o terreno pra uma aproximação.

E se a aproximação for bem feita, descontraída, papo legal e tal... Melhor ainda! Se o cara for bom de papo já me conquista, fácil. Se rolar sexo depois é vantagem, aliás, ficar só de beijinho é coisa de adolescente, né! Mas tem que tá a fim... Se o sexo for bom, já rola uma troca de contatos e vamos de zap zap, porque ligar pra alguém hoje em dia é raridade.


Vamos ao que realmente interessa!


Primeira questão:


Quem tem medo de mulher empoderada?

Muitos homens, muitos mesmo...É muito mais fácil para eles  se relacionar com uma mulher que ainda está oprimida(sem ter consciência disso) e que fica atrás sempre, do que se relacionar com uma mulher que sabe o que quer, que não vai morrer pelo cara, e vai se apaixonar sem ser submissa.

Adoro me jogar nas relações, adoro "romancinho", adoooorooo! Romancinho nem precisa ser relacionamento sério... Apenas uma ligação em um fim de semana qualquer, pra sair, cineminha, uma transa legal. Mas acontece é que a maioria dos homens acham que quando ligamos fazendo esse convite é porque já estamos morrendo por eles. Eles, em sua maioria  covardes, começam a nos a “tirar de tempo”. Eu sou adepta do seguinte trato: Não quer mais ficar, dá idéia, não precisa tratar mal, aliás, ninguém é obrigado a ficar com ninguém.


Segunda questão:


Tudo bem que geralmente as pessoas ficam com mais de uma pessoa, nas suas relações casuais. Eu mesmo faço isso. Mas tem que ter uma organização, aí! Ficar com outra na frente daquela que ficou no dia anterior é horrível. Pois é! Muitos homens têm mania de fazer isso. Meu Deuuuuuus!!!! O mundo não gira em torno do pau de vocêeeeees!


Terceira questão:


Por que precisamos nos boicotar quando estamos gostando?

Tipo: “Não fica mandando recado não, senão o cara some”. “Não fala que está gostando”. Uai! Por que preciso ficar fazendo coisas que não quero fazer, pensando no que o cara vai pensar.? Se eu estou a fim de ligar, eu ligo, se estou gostando, eu falo mesmo. Jogo a real! E se o cara não quiser...Paciência!!!!Partir pra próxima! Uma amiga do babado chama esse auto boicote de: JOGUINHO DE HÉTERO. Adoreeeeeei!


Quarta questão:

Que medo é esse de se relacionar?

Creio que muitos homens ainda têm o pensamento de que se começarem a namorar, vão acabar com sua  vida social. Como assim? Namoro é compartilhamento, é divertir junto ou com a galera também. Eu mesmo adorava sair com meu ex namorado, tomar todas, enfiar o pé na jaca e depois transar super bêbada(convenhamos que muitas de nós ficamos duplamente safadas quando estamos bêbadas). Eu só namoro um cara que tem os mesmos gosto que o meu e que goste de fazer as mesmas coisas.Se não gostar, a gente se adapta um ao jeito do outro, porque relação também é ceder, contanto que venha dos dois lados. E também rola de fazer programas sozinhos,cada um pro seu canto, sem cobranças e com confiança.


Quinta questão:


Ar novinha? Ar novinha? Pelo amor de Deus! Não troco os meus quase trinta anos de toda experiência, maturidade e desenvoltura sexual, por um novinha. Uma pergunta: Qual a idade dessas novinhas mesmo?


Conclusão:


É muito mais difícil para nós mulheres libertas, encontrarmos alguém. Porque a maioria dos homens não evoluíram para essas questões. Mas isso não me deprime, não. Vou por aí, caçando nas minhas paqueras e se achar  um cara, um pouquinho machista e rolar um envolvimento,  eu educo.Admito isso! Vivemos  em uma sociedade machista  e o homem perfeito não existe. Agora se for um machistãaaaaaao, aí não tem jeito. É cair fora!

Não precisamos nos submetermos a situações com medo de ficarmos sozinhas, as vezes é muito melhor estarmos solteiras do que em  uma relação de submissão, mesmo que sutilmente.

Confesso que tenho um pouco de receio desse "mundo moderno", onde há mais medo de se envolver, do que o arrependimento de não ter tentado. Onde as conversas não se prolongam.Onde muitos não veem que vale a pena conhecer, investir, ou simplesmente, tentar. O bom da vida é colecionar histórias! Até mesmo as ruins, pois elas servem de aprendizado.

E se não rolar um cara , eu vou me divertindo comigo mesma, ou com meu Bilú(vibrador), prefiro assim do que transar com homem idiota. Deixo o conselho para todas!



Um beijo!

Karlinha Ramalho