Google+ Followers

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Obrigada 2015!

Fim do ano chegando e sempre bate aquela nostalgia de tudo, lembranças, arrependimentos, alívios...Enfim! No meu caso, bateu uma tristezinha de leve, pois é, sou assim mesmo. É bem verdade que fim do ano eu fico bem mais intensa em tudo, tanto na bebida, no sexo, nas amizades e no amor. E como é de costume, sempre termino o ano com uma paixão frustrada e passo as férias na fossa. Só que este ano, tive um envolvimento aí, que era certeza de furada, por isso, pra não seguir essa minha regra chata de fim de ano, tratei logo de pular fora e  minhas férias será mais feliz e liberta possível. Chega disso na minha vida!
2015 foi um ano complicado, mas muito libertador também em vários aspectos. Desfiz amizades  muito fortes, percebi realmente quem são aquelas pessoas que posso confiar. Deixei a minha antiga turma, por perceber que vivia em meio a pessoas artificiais , que tentam se auto afirmar de alguma forma, enfim, não me sentia bem e nem feliz. Libertei-me, por não me senti mais parte. Sofri, mas foi rápido demais. Porque descobri que tudo veio no tempo certo e eu mais ganhei do que perdi. Libertei-me e ganhei novas pessoas maravilhosas, pessoas que me trouxeram horizontes e que me fazem crescer. Sou grata!
Sobre as relações amorosas, foram todas um desastre, mas foi menos pior do que o outro ano,porque agora eu sei exatamente o que fazer. Não irei me permitir a coisas que me coloquem pra baixo e a homens egoístas e imaturos. Terminei sabendo controlar minha carência e deixar firme minha auto estima. Finzinho do ano, quase caio em uma furada, mas lembrei de todas essas lições que aprendi em 2015 e segui. Agora estou sozinha,mas muito bem e feliz demais.
Passei mais tempo em casa, em companhia dos meus livros, meus filmes, minhas manias...Soletude!  
.Escrevendo mais do que nunca, cheia de planos e esperança. Termino este ano como uma pessoa melhor. E estou até pensando em passar a virada em casa, deitada, de perna pra cima, tomando uma cerveja, fumando um back e assistindo uma série. Ficarei feliz assim! Que venha 2016, continuando esse meu Retorno de Saturno!


Agradecimento aquelas pessoas que fizeram meu 2015 melhor: Lídia Dállet, Julyana Duarte, Daniela Vieira, Cris de Souza,Liv de Lara,  Silvia Fernandes, Júlia Nara, Daniel Garcia, Anne Baylor...Eu amo vcs!   <3

domingo, 27 de dezembro de 2015

Disk Sexo

Gosto dessas paradas de sexo em domicílio, do tipo: Você liga para a pessoa e ela vem. Só faço isso com quem tenho um certo apreço e uma intimidade bem permitida. Confesso que rola um pouco de apego, quando ele vem e parecemos o casal mais apaixonado do mundo, cheios de trocas de carinhos e juras de amor. Ele cheio das histórias mal resolvidas, que eu não quero saber, às vezes tenta me fazer ciúmes contando algumas, mas eu acho graça de tudo  ou então o repreendo. Até me divirto com todas essas suas aventuras de um cara egoísta, mas logo em seguida, me sinto hipócrita de ouvir tudo isso, meio sem dar uma lição de moral( e o feminismo?). E até dou, o chamo de egoísta, falo que ele vai se fuder logo, logo e que eu vou achar bem feito. Ele fica com raiva, mas depois passa.
Logo em seguida já estamos nos amassos e naquele sexo que nos faz suar, onde terminamos encharcados um do outro.
Ao terminar, põe minha cabeça no seu peito  e  diz:  
- Amo ficar olhando para os seus seios enquanto cavalga em mim. É  a cena mais linda do mundo. Quero morrer lembrando  disso.Eu fico hipnotizado. Fico com essa cena na minha cabeça a semana toda. Quer namorar comigo? Vamos morar juntos? Vamos ter um filho?
 E eu respondo: - Melhor, não!
Ele responde: - Tudo bem ,então. Melhor não!

Despede -se, chama uma moto e vai embora.  E depois de algumas semanas, me bate aquela carência. O chamo, mando uma mensagem, pedindo uma amorzinho e um dengo e ele vem. E assim segue nossa história de amor de algumas horas em cima da minha cama e debaixo do meu edredon. Sou assim, cheia das relações estéreis, sem muitos prolongamentos. Às vezes tenho vontade de ser amada pra uma vida inteira, mas nunca dou sorte nas escolhas. Pelo menos tenho esse “disk sexo do amor”. Tá bom, assim! (eu acho)

Karlinha Ramalho


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

de ontem...


"Meu quarto ainda está com áurea de ontem
Cigarro apagado no cinzeiro
Camisinhas no chão
Vinho pela metade
Só que no seu lugar

Ficou a saudade..."

(Karlinha Ramalho)

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Culpados!


Sei de todos os teus crimes e te repudio. Mas como pode ser todo encantador na hora que toca a viola? Eu me condeno por esquecer todos os seus erros e me entregar, logo depois, prometo nunca mais te ver. Mas aí quando aparece na minha janela tocando aquela canção eu entendo porque todo bandido tem o charme como sua principal "arma".É o lado bom de ser vilão. Somos culpados!

Karlinha Ramalho

domingo, 13 de dezembro de 2015

Pra voar alto é preciso soltar as angústias


 
Hoje me bateu uma leve angústia, não sei explicar o porquê. Mas me bateu uma angústia...
Passou rápido, porque fiz uma autocrítica.
 Foi só uma angústia das coisas mal vividas, das histórias mal resolvidas, de tudo que deixei pelo caminho. Foi uma angústia passageira, pois refleti que se estou forte até aqui é porque nada daquilo  era pra ficar aqui. Tudo tem seu tempo e eu sigo.
Eu que ando amando a solidão. Solidão dos meus pensamentos e inspirações das minhas embriaguez e viagens, entre uma cannabis e outra. Eu que estou até  lendo a Bíblia e encontrando preciosidades e confortos. Eu que tenho preferido deitar na rede e conversar, do que transar. Eu que tenho dormido nas noites de sábado, dançado nos domingos. Eu que tenho amado cada dia mais meus alunos,  tenho gastado meu dinheiro mais com vinho do que com remédio.
Eu que continuo tendo paixões erradas, mas não estou insistindo. Eu que agora, sou uma pessoa de poucos amigos, pois quero comigo os mais verdadeiros, quero todos aqueles que me completam. Eu que ultimamente tenho lido um livro atrás do outro. Tenho até feito orações. Tenho admirado Jesus Cristo. Tenho me masturbado no chuveiro. Tenho começado uma dieta, mas não consigo tirar a cerveja. Além de não ter coragem de ir à academia.
  a angústia não sei explicar porquê. Deve ser esses momentos que lembramos   do passado.Lugar onde ele deve ficar. Já me perdoei e perdoo todos  àqueles que passaram por mim e me magoaram de alguma forma. Estão todos perdoados. Eu estou perdoada!
Venho fazendo revoluções internas. E percebendo que passei um bom tempo presa. Pois a liberdade é muito mais interna do que externa.  A liberdade chega, mas também temos que aceitá-la. Não adianta  ter liberdade com peso nas costas, pois o peso  nos impede de voar.
Agora eu posso voar. Mesmo ainda sobrando algumas angústias. Mas vou tentar jogá-las pelo caminho. Por causa delas, ainda voo baixo. Mas logo, logo, quando consegui soltar todas elas lá de cima, eu voarei  até o infinito.

(Karlinha Ramalho)
 
Para tudo há uma ocasião certa;
há um tempo certo para cada propósito
debaixo do céu:
Eclesiastes 3:1